Blog

10 Lições de filmes que se aplicam ao mundo dos negócios

10 Lições de filmes que se aplicam ao mundo dos negócios.


 

1. Rei Leão – Quem nasceu para ser rei não pode se contentar com Hakuna Matata

Apesar de dar origem a uma das músicas mais marcantes da história do cinema, a filosofia Hakuna Matata não é algo que eu admire tanto assim.

Em uma época marcada por concursos públicos e busca pela estabilidade (como se ela sozinha significasse alguma coisa), vemos um fenômeno no qual as pessoas focam mais no que elas querem fugir (problemas, responsabilidades, risco, etc.) do que nas coisas que realmente a farão feliz.

Apesar do crescimento físico acontecer justamente durante a cena do Hakuna Matata, vemos que Simba se torna um verdadeiro adulto apenas no momento em que Nala o convence a voltar para o bando e exercer sua função de rei.

E você, quando vai deixar de reclamar das 2a-feiras e vai definir seus verdadeiros objetivos e finalmente sair do lugar?

2. A Rede Social – Ideias não valem nada, execução é o que faz a diferença

Apesar da grande maioria das pessoas assistir o filme e enxergar como “Esse tal de Zuckerberg é um filho da fruta”, minha visão é “Impressionante como as pessoas fazem mimimi sem terem mérito algum”.

Qualquer um que já teve que tirar uma ideia do papel e entregar um projeto sabe que a ideia inicial não equivale a 1% do esforço necessário para alcançar o sucesso. Lembra aquele trabalho escolar que você dedicou horas e horas da sua vida para entregar? Seria como dizer que o mérito daquele projeto é todo do professor que deu a ideia de tema.

Modelar exatamente como aquela ideia será no mundo real, construir a bagaça e conseguir clientes para aquilo é onde mora o verdadeiro mérito.

Já disse antes, mas vale a pena repetir. Dizer “Mas eu tive essa ideia antes, alguém a roubou!” é como falar “Eu me apaixonei antes por Angelina Jolie, Brad Pitt a roubou de mim!”. Por isso, a frase que mais me marcou nesse filme foi: “Se você tivesse inventado o Facebook, você teria inventado o Facebook“.

3. O Homem que Mudou o Jogo – Não importa que os concorrentes sejam mais ricos, se vira

Falando em Brad Pitt, um filme que qualquer empreendedor ambicioso se identifica é o “Moneyball: O homem que mudou o jogo”.

Para quem não viu, basicamente ele conta a história real de um time de baseball que tinha um orçamento muito menor do que os outros e, através de um novo sistema de jogo baseado em análise de métricas, conseguiu um desempenho impressionante na 1a divisão americana.

Além da ideia de usar novos métodos para ser mais eficiente que seu adversário, o filme mostra exatamente o processo de implementação de uma ideia no mundo real.

No começo, as outras pessoas simplesmente dizem que é impossível e temos que nos contentar com o que temos. Depois, sua ideia inovadora é severamente criticada. Por fim, depois de muito ralar, você finalmente consegue o resultado esperado.

4. Na Roda da Fortuna – O sucesso pode vir de onde você menos espera

Definitivamente o filme menos popular da lista, ele conta a história de um cara considerado um idiota e que precisa assumir a presidência de uma grande empresa. Sua 1a ideia é o bambolê, que apesar de parecer um produto sem demanda, se mostrou um tremendo sucesso de vendas.

Apesar dessa não ser a verdadeira história da criação do bambolê, a cena em que ele precisa convencer a diretoria a investir no produto é sensacional! Qualquer um que apresentou uma ideia nova para um grupo de pessoas vai se identificar com a situação.

5. Titanic – Nunca, mas nunca mesmo, se considere invencível

Além da façanha de deixar uma criança de 10 anos (eu, na época) sentada numa sala de cinema, essa história é um exemplo claro de que não importa o quanto você tenha de dinheiro ou de camadas de metal, nada nem ninguém (exceto Chuck Norris) é indestrutível.

O exemplo do Titanic me faz lembrar de um costume que se tinha no império romano de que quando um general vitorioso era recebido em Roma, ele tinha ao seu lado um escravo que tinha a única função de vez ou outra dar uma cochichada e falar “Lembra-te que és mortal”.

Por isso, não importa o quão mal ou bem você esteja, lembre-se que tudo pode mudar. Humildade é essencial para quem quer continuar vencendo.

 

6. Rocky – O coração é o que define um campeão, não o cinturão

Existem 2 curiosidades que muita gente não sabe sobre esse filme.

Uma delas é que o filme é baseado na história de Chuck Wepner, um desconhecido boxeador que quase nocauteou a lenda Muhammad Ali. Outra curiosidade é que a própria história do filme mostra um excelente exemplo de superação do próprio brucutu Sylvester Stallone.

Depois de chegar a um ponto extremo de pobreza em que teve que vender seu cachorro por $25 para comprar comida, Stallone assistiu a luta mencionada anteriormente e em 3 dias escreveu o roteiro do filme.

Com o roteiro em mãos, ele tentou vender a diversos estúdios e chegou a receber uma proposta de $350 mil, mas ele recusou, já que queria ser a estrela principal. Depois de muita negociação, ele aceitou $35 mil (10 vezes menos!) pelo roteiro, só que estrelando o filme.

O que foi uma aposta extremamente arriscada se transformou em um filme que custou $1.1 milhão, faturou $117.23 milhões e foi indicado para 10 Oscars, incluindo o de melhor ator para Sylvester Stallone (isso mesmo, Stallone concorrendo ao Oscar de melhor ator!!!), ganhando 3 deles (melhor filme, melhor diretor e melhor edição).

Muito mais do que o cinturão que ele acabou conquistando no Rocky 2, a história de superação de Sylvester Stallone nos bastidores, acreditando no seu potencial de ser um verdadeiro campeão é a principal lição desse filme.

7. À procura da felicidade – Não importa o que a vida te joga, sempre dê o seu melhor

Como diria o filósofo Joseph Climber “A vida é uma caixinha de surpresas” e ninguém melhor do que Chris Gardner para exemplificar essa situação.

Certo dia, sua mulher o havia abandonado, com um filho para criar sozinho (diferentemente do que mostra no filme, o filho dele era um bebê) e ele tinha apenas $21,39 no bolso. Convenhamos, é o tipo de coisa que nos deixa sem vontade de cantar uma bela canção.

Eis que então ele viu um cara numa Ferrari e decidiu perguntar o que ele fazia. O homem falou que era corretor na Bolsa de Valores. Ao invés de simplesmente invejar o homem ou achar que ele era corrupto, Chris decidiu também se tornar um corretor na bolsa.

Porém, existia um grande detalhe. A empresa só aceitava um novo corretor a cada 6 meses, sendo que ele precisaria trabalhar 6 meses sem nenhum pagamento.

Depois de se jogar de no sonho e chegar a dormir na rua com seu filho, Chris conseguiu o emprego e depois comprou sua própria Ferrari, de ninguém mais ninguém menos que Michael Jordan.

 

8. Piratas do Vale do Silício – Uma visão inovadora junto a um senso de oportunidade fazem a diferença

Qualquer nerd que se preze já deve ter estudado pelo menos um pouco a história da fundação da Microsoft e da Apple nos anos 70. De qualquer forma, recomendo muito assistir esse filme que, até onde sei, passa uma visão consideravelmente realista sobre o que aconteceu na época.

Além de mostrar que tanto Steve Jobs quanto Bill Gates deviam ser pessoas muito difíceis de lidar, uma visão de futuro aliada à capacidade de aproveitar oportunidades é a base da construção das grande corporações que surgiram do nada.

Por mais que Bill Gates tenha “dado sorte” no acordo com a IBM, é muito claro que ele soube muito bem correr atrás das oportunidades na hora certa, além é claro de um grande espírito empreendedor que o fez o homem mais rico do mundo, mesmo doando uma grande parte da sua fortuna e lançando o Windows Vista.

9. 300 – Vitórias, mesmo que pequenas, fazem toda a diferença na motivação

Uma das coisas mais interessantes do final desse filme é que todo mundo morre. Não apenas o protagonista é derrotado, como ele fica parecendo um ouriço, de tantas flechas espetadas pelo seu corpo.

Porém, apesar desse destino trágico, o filme termina com uma sensação boa, de esperança de que a liberdade poderia triunfar. Dando um spoiler do 2o filme, aquela batalha foi essencial para segurar os persas e dar motivação para os gregos, que acabaram expulsando os persas da sua terra no final das contas.

No mundo dos negócios, isso vale para quando você precisar concorrer com uma grande corporação. Apesar de não valer a pena bater de frente com um gigante, trabalhar de forma mais eficiente e escolher um bom campo de batalha são ótimas formas de tirar uma lasquinha relevante do seu mercado.

Conforme você conquista o seu espaço, quem sabe até onde você pode chegar?

10. Forrest Gump – Nós podemos presenciar a história acontecendo na nossa frente

Tá bom vai, esse filme não chega a ser baseado em fatos reais, mas cita vários fatos históricos, então tomei a liberdade de colocar aqui.

Enfim, além de ser o meu filme favorito de todos os tempos, Forrest Gump tem uma lição escondida muito importante: por mais que acontecimentos históricos sejam sempre retratados de forma épica, existe todo um contexto por trás daquele momento que é muito menos glamouroso do que parece.

Ou seja, se sua vida não tem uma trilha sonora e fogos de artifício a cada conquista, isso não quer dizer que elas não sejam grandiosas. No momento em que você decide sair do lugar e empreender, pode ter certeza que esse é um momento épico e um dia será lembrado como algo grandioso.

Por isso, deixo aqui a pergunta: e você, o que tem feito no seu simples dia-a-dia para escrever uma história grandiosa?

Abraços,
Millor Machado (usando diariamente diversas lições aprendidas na Sessão da Tarde)

Obs.: Créditos da imagem Shutterstock

P.S.: Para quem ficou curioso sobre o cachorro de Stallone, assim que recebeu o pagamento pelo roteiro ele o recomprou pela bagatela de $15 mil (600 vezes o preço que tinha vendido!). É ou não um cara que gostava do seu melhor amigo?

Fonte: www.saiadolugarcomum.com.br